OPORTUNIDADE PARA TODAS AS ÁREAS DO CONHECIMENTO

Nesta segunda-feira (22.04.2024), às 10h00, no Auditório Roberto Salmeron, na Faculdade de Tecnologia, receberemos representantes da Fundação Alexander von Humboldt.

Vamos realizar uma palestra informativa sobre oportunidades de financiamento para estadias de pesquisa na Alemanha.

Pesquisadores de todos os tipos de disciplinas do Brasil que concluíram o doutorado há menos de 12 anos podem se inscrever para passar até 24 meses em uma instituição de pesquisa na Alemanha para conduzir um projeto de sua escolha junto com seu anfitrião científico.

O financiamento inclui um valor mensal de bolsa, bem como custos de viagem e vários benefícios adicionais.

Durante o evento você conhecerá mais sobre o trabalho da Fundação e terá uma visão geral das modalidades das diferentes oportunidades de patrocínio.

Do lado prático, você receberá algumas dicas e sugestões sobre como encontrar um anfitrião e como se inscrever com sucesso. Haverá também algum tempo para perguntas específicas após a apresentação.

IFB – Campus Gama seleciona 40 mulheres para curso de formação profissional em doula

Instituto resgata profissão cuja procura tem crescido de forma significativa nos últimos anos


O Instituto Federal de Brasília (IFB) – Campus Gama abre matrícula para o Curso de qualificação profissional feminina em doula – profissional apta no acompanhamento competente de mulheres em estado de gravidez, oferecendo suporte emocional, e outros serviços, até o momento do parto. As interessadas podem se inscrever até segunda-feira, dia 15, de forma presencial, para o preenchimento de 40 vagas. Caso não seja preenchido o número total ofertado, o prazo será prorrogado até as vagas serem preenchidas.


O certificado de qualificação profissional em doula resgata uma profissão, cuja procura por esse apoio a mulher gestante (gravídico-puerperal), tem crescido significativamente nos últimos anos. No passado, não muito distante, as mulheres mais experientes ofereciam suporte emocional as mais novas, em sua própria casa, durante todo período de gestação até o momento de nascimento do bebê.


O Curso profissionalizante é voltado somente para mulheres que residem nas cidades satélites do Gama, Santa Maria, Recanto das Emas e Riacho Fundo. Para participar as candidatas devem comparecer munidas de documentos e apresentar comprovante de que residem em uma dessas localidades exigidas no edital de seleção. As matrículas devem ser feitas presencialmente no Setor de Múltiplas Atividades, Rodovia 480, Lote 01, Gama-DF.

Mais informações no site do IFB, acesse clicando aqui.

Diretor-Presidente da Finatec recebe honraria do Corpo de Bombeiros Militar do DF

Na manhã do dia 09/04/2024, o Diretor-Presidente da Finatec, Augusto Brasil, foi contemplado com a Medalha Maurilo de Hollanda, uma honraria oferecida pelo Corpo de Bombeiros Militar do DF àqueles que contribuíram de alguma forma para os serviços de perícia de Incêndio do Distrito Federal.

A cerimônia de solenidade, ocorrida na Academia do CBMDF, é uma forma de reconhecimento de autoridades e personalidades que contribuíram e prestaram serviços importantes para a corporação.

A Medalha Maurilo de Hollanda foi criada em homenagem ao ex-comandante do CBMDF que foi pioneiro na investigação de incêndios dentro da instituição, celebrando assim o Cinquentenário da Investigação de Incêndio do Corpo de Bombeiros.

Fontes: Secretaria de Saúde e Brasília Ambiental

Profissionais e estudantes se reúnem no I Workshop de Avaliação Psicopedagógica

O evento, liderado pelos especialistas Tiago Figueiredo e Camila Leon, acontecerá no auditório da Finatec, em Brasília

Médicos, psicólogos da área da neuropsicologia, profissionais da psicopedagogia e estudantes que atuam ou desejam atuar na área clínica podem participar do I Workshop de Avaliação Psicopedagógica, que será realizado neste sábado, dia 06 de abril, pela manhã, no auditório da Fundação de Empreendimentos Tecnológicos (Finatec), no Campus Universitário Darcy Ribeiro, da UnB, na Avenida L3 Norte, Edifício Asa Norte, em Brasília. O credenciamento será feito no próprio local das 8h15 às 8h30.

O médico psiquiatra Tiago Figueiredo abrirá o Simpósio com a palestra “As Bases do Raciocínio Clínico Psicopedagógico”, que terá início às 8h30 e se encerrará às 9h30. Em seguida, a doutora Camila Leon retomará os trabalhos com o tema “Quais Instrumentos Utilizar na Avaliação?”, com duração de uma hora, das 9h30 às 10h30. O encontro terá intervalo de uma hora (das 10h30 às 11h30) e voltará às atividades com os dois palestrantes juntos, quando abordarão o tema “O Que Deve Constar no Relatório da Avaliação”. O encerramento está previsto para as 12h30.

“Durante o evento, será feito um treino prático e com muita fundamentação teórica sobre a avaliação das dificuldades de aprendizagem, que são tão pertinentes na nossa prática clínica”, adianta o psiquiatra Tiago Figueiredo, ao destacar a importância do encontro, principalmente para os profissionais da área que têm o trabalho voltado para os jovens. “Você que trabalha diretamente ou indiretamente com crianças e adolescentes está convidado para esse dia de imersão de aprendizagem sobre a avaliação das dificuldades de aprendizagem na prática clínica”, conclui.

Técnicos da UnB transformam a realidade de famílias residentes em áreas vulneráveis ou em situação de risco

Bons resultados já podem ser constatados por meio das ações de moradores

A Universidade de Brasília (UnB), por meio do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, está inovando com o lançamento do primeiro curso de especialização que propõe uma imersão em vivências territoriais. Iniciado em outubro de 2022 e chegando ao seu término este mês, o curso oferece uma série de módulos de estudo, incluindo oficinas, visitas a áreas vulneráveis e experiências práticas que possibilitam uma troca de conhecimentos entre os participantes do curso e as comunidades locais.

Os resultados positivos já são visíveis, com projetos de urbanismo e melhorias habitacionais sendo celebrados pelos moradores. Destacam-se iniciativas como a promoção de economia solidária na ARIS Dorothy Stang, a implementação de hortas urbanas no Parque Paranoá, a reforma da Cozinha Popular do MTD no Sol Nascente e o planejamento comunitário para a preservação da Lagoinha. Além disso, há esforços em andamento, como a produção de cartilhas para auxiliar na luta pela regularização fundiária em Santa Luzia, o desenvolvimento de projetos de infraestrutura turística e paisagística no assentamento Pequeno William MST, e a promoção de ações voltadas para o fortalecimento do planejamento territorial afrorrural do Quilombo Mesquita.

O engajamento da comunidade, com o apoio financeiro da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), é notável, incluindo a concessão de bolsas para jovens do ensino médio, residentes nas áreas abordadas, permitindo-lhes participar ativamente desse processo de transformação. “Isso mudou a realidade deles. Os pais comentam que os filhos começaram a se interessar mais pelos problemas locais após essa interação com os técnicos da UnB”, observa Liza Andrade, coordenadora do projeto.

A expectativa é que, até o final deste ano ou início do próximo, seja lançada a segunda edição do curso de Residência. Esta iniciativa é parte de um esforço nacional, com apenas cinco universidades no Brasil desenvolvendo cursos nesse formato, visando fortalecer a assistência técnica em habitação de interesse social nas periferias. A participação ativa dos professores e estudantes nas comunidades é fundamental para o sucesso do programa, especialmente com o apoio do Ministério das Cidades, por meio do Programa Periferia Viva da Secretaria Nacional de Periferias.

Liza Andrade destaca a importância de superar a elitização na área de Arquitetura, onde apenas 16% da população tem acesso a esse tipo de assistência habitacional. “As pessoas que vivem em territórios de risco necessitam de profissionais não apenas da arquitetura, mas também da engenharia, para abordar essa questão social. Esta assistência técnica é fundamental para mudar a realidade”, ressalta.

O curso de pós-graduação Residência Multiprofissional em Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS): Habitat, Agroecologia, Economia, Sociedade e Saúde Ecossistêmica em Territórios do DF e entorno, do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da UnB, tem como objetivo formar “assessores sociotécnicos” em parceria com os moradores locais, visando soluções mais resilientes e solidárias para os desafios habitacionais enfrentados por diversas comunidades, incluindo camponeses, quilombolas e moradores da periferia.

A coordenação do projeto, liderada por Liza Andrade, destaca o processo de criação da disciplina Fundamentos em Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) em 2021, que serviu de base para a concepção do curso e contou com o apoio de diversos professores. O projeto recebeu recursos por meio de uma emenda parlamentar da deputada Erika Kokay, reconhecendo assim o impacto positivo que tem nas comunidades atendidas.

Seminário Saúde Mental na Parentalidade

A complexidade das relações familiares exige constante atualização dos profissionais que atuam no campo da parentalidade, assim como a permanente aquisição de novas ferramentas e estratégias de intervenção na saúde pública, como condição para o enfrentamento dos desafios contemporâneos face à problemática da violência intrafamiliar, às questões raciais e aos diferentes arranjos na constituição familiar.

​O Seminário é fruto da pesquisa “Escola da família: promovendo saúde mental na parentalidade”, apoiado por emenda parlamentar da bancada do Distrito Federal em 2022. Nesse contexto, o Seminário Saúde Mental na Parentalidade marca a finalização desse trabalho e pretende fomentar debates interdisciplinares sobre intervenção, políticas públicas em saúde e concepções teóricas da parentalidade e suas vulnerabilidades.

“Esse projeto então é um desdobramento do projeto Escola da Família de Niterói, em relação à temática da saúde, a gente percebeu que seria interessante afunilar um pouco a temática e trazer a discussão também da questão da saúde mental, tendo em vista os números de depressão pós-parto e também da violência e da solidão das mulheres gestantes, a situação em que elas estão expostas e a quantidade de que existe no Brasil.”, explica Aline Tarouquella Matias, pesquisadora do projeto.

Aline Tarouquella Matias

​O período da infância é de suma importância na constituição da subjetividade. As crianças estão sujeitas às vicissitudes do ambiente que as rodeia. O cuidado dos adultos possibilita ao bebê viver e se desenvolver enquanto não possui ainda condições de fazê-lo por si próprio. Os adultos cuidadores são os responsáveis, num primeiro momento, pelo que ocorre no ambiente da criança. Portanto, cuidar das gestantes, dos familiares é também promover saúde mental.

“O projeto possibilitou a formação de 95 profissionais na área da saúde do DF, no tema da saúde mental da parentalidade, que é um tema extremamente sensível nesse momento da vida, na ideia das depressões pós-parto, das violências, da solidão. Os espaços de saúde podem ser acolhedores e de promoção da saúde mental. Esse projeto também trouxe três dissertações, tivemos 13 bolsistas de pesquisa, uma publicação numa revista A1, da CAPS, com o tema da parentalidade, a gente tem um chamado público sobre isso, produzimos três vídeos explicando o projeto. O livro está sendo finalizado com a editora Blucher.”, comenta a professora Kátia Tarouquella Brasil, coordenadora do projeto.

Kátia Tarouquella Brasil

A deputada Erika Kokay esteve presente na abertura do evento e explicou a importância de apoiar projetos como esse e a vulnerabilidade da mulher. “Todos os anos, nós destinamos uma emenda de bancada, que são emendas mais vultosas para a Universidade de Brasília, para que nós possamos realizar projetos como esse, que via de regra acontecem através da Finatec. E é absolutamente fundamental, porque aqui nós estamos falando de ensino, nós estamos falando de pesquisa, nós estamos falando de extensão, mas, fundamentalmente, nós estamos falando de problematizar as nossas realidades para que nós possamos encontrar soluções para resgatar uma cidadania e resgatar uma liberdade que, em grande medida, esse país com tantas casas grandes, sem alas literais e metafóricas, não permite que nós resistamos. Portanto, essas emendas, quando vem para cá, elas são emendas que sempre trabalham na perspectiva de autonomia, de vivenciar uma humanidade que pressupõe diversidade. Pressupõe condição de sujeito, mas também pressupõe afetividade. Por isso, são atividades que sempre carregam muita amorosidade e muita afetividade. Continuaremos sempre contribuindo com a diversidade de Brasília e com projetos como esses que vêm através da Finatec.”, comenta a deputada.

Deputada Erika Kokay

“A Finatec teve um apoio fundamental, desde a busca junto com a deputada Erika Kokay, junto ao gabinete dela e toda a administração, toda a gestão do projeto. O apoio é fundamental porque a gente pudesse fazer a publicação, fazer o nosso trabalho sem se preocupar com a parte financeira, contratual e a gente conseguiu ter mais liberdade para construir o trabalho. O evento foi maravilhoso, acho que todo o apoio, que a nossa equipe junto com a equipe da Finatec, ela realmente conseguiu trazer uma discussão científica, cultural. Mental e humana, porque eu acho que a ideia é falar de saúde mental na parentalidade e não esquecer o lado humano que atravessa esse lugar de assumir a parentalidade.”, finaliza a professora Kátia Tarouquella Brasil.

Confira as fotos do evento:

Finatec apoia prefeitura da UnB na aplicação de fumacê

Com a chegada do período chuvoso, observa-se um aumento significativo na proliferação de larvas de mosquitos, o que eleva consideravelmente o risco de transmissão de doenças como dengue, zika e chikungunya.

Diante desse cenário preocupante, a aplicação de fumacê se torna uma medida urgente e imprescindível para proteger a saúde da nossa comunidade e conter a disseminação do mosquito Aedes aegypti.

Neste sentido, a Finatec atendeu uma solicitação de apoio da Prefeitura da Universidade de Brasília para preparar os espaços dos Institutos Centrais de Ciências neste início do semestre 2024.1, ao todo foram investidos 26 mil reais na compra e aplicação do inseticida: no dia 15/03 um carro do fumacê transitou pelas dependências do ICC sul e norte, garantindo ambientes mais seguros para os alunos, professores e servidores.

Presidente Lula lança oficialmente Plano Juventude Negra Viva de combate ao racismo e a violência contra jovens

A cerimônia ocorreu em Brasília e prevê investimento de mais de R$ 665 milhões podendo ultrapassar o montante de R$ 1,5 bi


“Não é possível achar normal o extermínio da juventude negra do País” afirmou o Presidente Lula durante lançamento do Plano Juventude Negra Viva, nesta quinta-feira, dia 21, em cerimônia que ocorreu no Ginásio Regional da Ceilândia, em Brasília. O Programa prevê investimento de mais de R$ 665 milhões, mas pode ultrapassar R$ 1,5 bi, em ações que envolvem 18 ministérios que terão a missão de reduzir a violência letal e combater as vulnerabilidades sociais que afetam a juventude negra no território nacional.

No Distrito Federal o embrião nasceu do Projeto Diagnóstico da Juventude Negra Brasileira desenvolvido pelo Departamento de Sociologia, da Universidade de Brasília (UnB), solicitado pela Secretaria Nacional da Juventude (SNJ) da Secretaria-geral da Presidência da República, a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec) ficou responsável pela gestão técnico-administrativa. A iniciativa apresentou a sociedade brasileira e aos governos de todo país um conjunto de ações públicas voltado ao bem-estar de jovens negros em situação de risco social.

A pesquisa possibilitou a compreensão do principal problema que afeta a juventude negra brasileira (a violência letal intencional), ocorrida de forma sistemática nessa camada mais pobre da população. O trabalho foi direcionado, principalmente, em produzir pesquisa de alta qualidade para compreender os fenômenos da violência letal e das vulnerabilidades sociais entre à juventude negra e ainda contribuir para o enfrentamento ao racismo estrutural na sociedade brasileira.

O Plano Juventude Negra Viva foi articulado pelo Ministério da Igualdade Racial e desenvolvido a partir de demandas dos próprios jovens. Em 2023, as pastas realizaram caravanas participativas em todos os estados e no Distrito Federal e escutaram cerca de seis mil jovens. A juventude negra representa aproximadamente 23% da população brasileira e a principal demanda desse grupo é viver em um país que respeita e investe na vida dos jovens negros.

Em seu discurso, segundo o Presidente, o racismo e suas consequências perversas, que a sociedade resiste tanto em não reconhecer, se revela todos os dias nos mais diversos ambientes, fruto de resultado do chamado racismo estrutural. “Todos os dias, pessoas negras, crianças, jovens, adultos, idosos são vítimas de múltiplas violações de direito em um contexto de vulnerabilidade que o Poder Público e a sociedade não podem aceitar”, disse o chefe do Executivo federal.

Lula destacou ainda a importância da divulgação do plano, para que ele cumpra com seu objetivo, e cobrou de seus ministros atuação firme nessa comunicação. “Todo mundo aqui tem a obrigação de colocar o Plano Juventude Negra Viva no cotidiano dos discursos. Porque se cada um falar apenas aquilo do seu ministério as pessoas não sabem. Se cada um só falar das suas coisas não adianta um programa com 18 ministros”, observou.

Para a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, 84% dos jovens negros saem da escola para trabalhar e, por isso, as primeiras demandas apresentadas por eles sempre eram segurança, empregabilidade e acesso à educação. “Nesse pacote a gente fala da redução de vulnerabilidades sociais, a gente fala da redução da letalidade, a gente fala de bolsa de estudo com editais de intercâmbios”, ressaltou.

O documento conta com 217 ações e 43 metas específicas, divididas em 11 eixos: saúde; educação; cultura; segurança pública; trabalho e renda; geração de trabalho e renda; ciência e tecnologia; esportes; segurança alimentar; fortalecimento da democracia; meio ambiente, garantia do direito à cidade e a valorização dos territórios.

Entre as ações prioritárias do Plano, o governo apresentou: Projeto Nacional de Câmeras Corporais, com diretrizes, treinamento e capacitação para policiais; Criação do Pronasci Juventude, com bolsas de R$ 500 por mês para jovens negros em cursos de capacitação profissional nos institutos federais; Política Nacional de Atenção Integral a Saúde de Adolescentes e Jovens, com recorte de juventude negra e programa específico sobre saúde mental; Bolsa de preparação para concursos da administração pública;

E ainda: Equipamentos de referência no âmbito do programa Estação Juventude, revitalização dos CEUs da Cultura e instalação de Centros Comunitários pela Vida (Convive); Promoção de intercâmbios entre países do hemisfério sul, com R$ 6 milhões de investimento em intercâmbios de professores e estudantes de licenciatura para África e América Latina; Implementação do Pontão de Cultura com recorte específico para a juventude; Internet em territórios periféricos, comunidades tradicionais e espaços públicos; Formação de jovens esportistas nas periferias a partir dos núcleos do programa Segundo Tempo e Crédito rural com foco na produção de alimentos, agroecologia e socio biodiversidade, com ênfase na ampliação da linha de crédito rural Pronaf Jovem.

O C-MOVE Brasília 2024 abriu as portas para uma ampla discussão sobre a mobilidade urbana sustentável na capital federal

Com o objetivo de apresentar as últimas novidades em veículos elétricos e fomentar um diálogo entre o setor privado e órgãos públicos, o congresso acontece nos dias 19 e 20 de março e  visa destacar as tecnologias emergentes e as vantagens da eletrificação para a mobilidade urbana sustentável.

Além de líderes e gestores públicos para debater os últimos avanços em veículos elétricos e mobilidade urbana, participam ainda do evento empresas, operadoras de transporte e gestores de frota de ônibus elétricos.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Imagem-do-WhatsApp-de-2024-03-19-as-16.45.38_501a4840-768x1024.jpg
Professor Augusto Brasil, diretor presidente da Finatec

Nesse contexto, o Professor Augusto Brasil, participou do painel “Mover – P&D, moderado pelo Bruno Portella, da PNME.”. Estavam presente também o Sérgio Knorr Velho, MSc. servidor do MDIC, o profº Marcelo Tete, da Universidade Federal de Goiás (UFG) e a Letícia Missiatto Gavioli, pesquisadora da FGVces.

Fonte: DF Mobilidade

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support