Cobertura Completa do 1º Congresso CONFIES na Finatec

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Realizado na capital federal, na sede da Finatec o 1º Congresso CONFIES teve por objetivo discutir os caminhos para reduzir a burocracia na ciência e tecnologia do Brasil, um problema que atrapalha bastante o trabalho dos cientistas brasileiros.

Realizado pelo Conselho Nacional das Fundações de Apoio às instituições de ensino superior e pesquisa científica e tecnológica, o congresso teve como temática o futuro das fundações de apoio no Brasil.

O evento começou com o credenciamento dos participantes que vieram de todas as partes do país. A edição 2018 do CONFIES conta com cerca de 330 inscritos, representando 74 fundações, das 95 filiadas ao CONFÍES, mais de 75% da representação Nacional.

Entre os temas discutidos no colégio dos procuradores destacou-se a revisão da Lei 8958 que dispõe sobre a relação dos institutos de pesquisa e universidades com as fundações de apoio, o Acórdão de transparência do TCU, as Bolsas e as tributações que incidem sob as fundações.

Já no Fórum dos contadores, os debates giraram em torno das obrigações acessórias a serem cumpridas pelas Fundações de Apoio, a Padronização do Plano de Contas junto aos órgãos Fiscalizadores e Veladores e os Bens Patrimoniais adquiridos por meio de Contratos e Convênios.

No fórum de comunicação, estratégias de políticas institucionais e o incentivo ao uso do marketing digital como diferencial no mercado, foram o foco das discussões. Nessa oportunidade, também, o Presidente do CONFIES Fernando Peregrino, reforçou a importância da Rede TV CONFIES como uma iniciativa integrada de comunicação para as fundações de apoio.

A tecnologia e a otimização de softwares para a melhoria dos processos internos foram tema dos fóruns do grupo de tecnologia da informação que apontou caminhos para políticas de segurança da informação, integração de sistemas, desenvolvimento de softwares e lei geral de proteção dos dados.

Além dos fóruns realizados pela manhã e tarde, o 1º CONFIES também previu, em sua solenidade de abertura, homenagens à personalidades relevantes do cenário nacional que se destacaram na defesa e incentivo às fundações de apoio.

Especialistas e professores relacionados ao universo das Fundações, também estão presentes realizando o lançamento de seus livros, nas noites de coquetel do Congresso.

Com 35 anos de caminhada e tradição em encontros, o 1º Congresso CONFIES promete mudar o rumo dos eventos fundacionais, aprimorando os debates e ampliando ainda mais a relação entres as instituições de apoio no Brasil.[/vc_column_text][minti_gallery ids=”20896,20897,20898,20899,20900,20901,20902,20903,20904,20905,20906,20907,20908,20909,20910,20911,20912,20913,20914,20915,20916,20917,20918,20919,20920,20921,20922,20923,20924,20925,20926,20927,20928,20929,20930,20931,20932,20933,20934,20935,20936,20937,20938,20939,20940,20941,20942,20943,20944,20945,20946,20947,20948,20949,20950,20951,20952,20953,20954,20955,20956,20957,20958,20959,20960,20961,20962,20963,20964,20965,20966,20967,20968,20969,20970,20971,20972,20973,20974,20975,20976,20977,20978,20979,20980,20981″ columns=”6″ style=”2″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][minti_spacer][vc_column_text]

22/11 – Segundo dia do Congresso

Especialistas, professores e autoridades das mais diversas áreas de interesse das Fundações de Apoio participaram do segundo dia do Congresso CONFIES.

O Auditor da Receita Federal, Daniel Belmiro, abriu as atividades da manhã com a oficina do e-social no auditório da Finatec. Por meio desse sistema, os empregadores passarão a comunicar ao Governo, de forma unificada, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS.

Com o anuncio do cronograma de implantação do programa, em julho de 2018, esse sistema ganhou foco das Fundações de apoio, que devem se adequar, a partir de janeiro de 2019. Quando totalmente implementado, o eSocial reunirá informações de mais de 44 milhões de trabalhadores do setor público e privado do país, em um único sistema.

O tema da primeira mesa do congresso foi a revisão da Lei 8958 que regula as relações entre as universidades e institutos de pesquisa e inovação com as Fundação de Apoio. Passados 25 anos de sua promulgação e várias emendas durante essa trajetória, a lei requer uma revisão completa para atender ao funcionamento das instituições de apoio que se ressentem de uma segurança jurídica para o cumprimento de sua missão.

Na expectativa de debater a temática, estiveram presentes representantes de instituições diretamente impactadas por essa legislação. O congresso conseguiu reunir procuradores do CONFÍES, Universidade, Câmara Federal, Ministério da Ciência e Tecnologia e MEC, num só espaço, oportunizando esclarecimento e alinhamentos importantes no campo das fundações de apoio.

A última mesa do dia, que discutiu sobre a criação de indicadores finalísticos para as instituições de apoio, ficou por conta de representantes do colégio de Procuradores e órgãos do governo.

A expectativa da mesa é alinhar uma gama de indicadores finalísticos que representem o verdadeiro papel das fundações de apoio para que possam ser observados pelos Órgãos de Controle e Normativos, ampliando a análise atual dos Ministérios Públicos Estaduais e do DF que atualmente é baseada apenas nos indicadores contábeis das fundações.[/vc_column_text][minti_gallery ids=”20983,20984,20985,20986,20987,20988,20989,20990,20991,20992,20993,20994,20995,20996,20997,20998,20999,21000,21001,21002,21003,21004,21005,21006,21007,21008,21009,21010,21011,21012,21013,21014,21015,21016,21017,21018,21019,21020,21021,21022,21023,21024,21025,21026,21027,21028,21029,21030,21031,21032,21033,21034,21035,21036,21037,21038,21039,21040,21041,21042,21043,21044,21045,21046,21047,21048,21049,21050,21051,21052,21053,21054,21055,21056,21057,21058,21059,21060″ columns=”6″ style=”2″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][minti_spacer][vc_column_text]

Eleição da Nova Diretoria

No segundo dia também aconteceu a eleição da nova Diretoria do CONFIES. Com uma trajetória de 30 anos, o Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica é uma associação civil que agrega e representa 94 fundações afiliadas em todo o território nacional.

Atualmente o Conselho é presidido por Fernando Peregrino, da Fundação Coppetec da Universidade Federal do Rio de Janeiro e possui em sua diretoria e conselho fiscal representantes dos mais diversos estados do país.

Com eleições de diretoria realizadas a cada dois anos, o 1º Congresso CONFÍES foi escolhido como espaço para o pleito da diretoria que guiará os passos do Conselho no biênio 2019/2020.

Ao final dos votos a composição da chapa do professor Peregrino foi reeleita, prorrogando o seu mandato por mais dois anos.

23/11 Terceiro Dia do Congresso

Foram três dias intensos em defesa do avanço da ciência e tecnologia, com palestras, oficinas, debates e troca de experiências entre as fundações de apoio às pesquisas nas universidades. A redução da burocracia excessiva da máquina pública, um dos gargalos do setor, foi um dos principais focos das discussões.

Passaram pela Finatec mais de 350 pessoas, entre deputados, senadores, representantes dos Ministério da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação, dirigentes das fundações de apoio, de universidades, órgãos científicos, estudantes e procuradores do Ministério Público. O evento fez uma homenagem aos defensores da ciência e tecnologia em reconhecimento à sua contribuição para o desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil.

Uma das grandes atrações da programação foi a seleção final dos três melhores vídeos sobre a burocracia na ciência e tecnologia – transmitida ao vivo pela TV CONFIES.

Ainda, na programação, especialistas discutiram a proposta de ampliação do acórdão de entendimento favorável ao funcionamento das fundações celebrado entre a Controladoria Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU). Agora fazem parte do acordo, realizado em 2017, a ANDIFES – Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições, o Ministério da Educação e o Ministério de Ciência.

Outro tema importante da programação do terceiro dia de congresso foi a discussão sobre a inovação, as universidades e as fundações de apoio que abordaram novas formas de ação. Também fez parte da programação a oficia com a FINEP que abordou sobre a temática da situação da Reabertura das Prestação de Contas. A discussão foi sobre negociações com o CONFÍES para mitigar os danos as fundações com a cobrança do TCU feita a FINEP para reabrir PCs de convênios encerrados.[/vc_column_text][minti_gallery ids=”21062,21063,21064,21065,21066,21067,21068,21069,21070,21071,21072,21073,21074,21075,21076,21077,21078,21079,21080,21081,21082,21083,21084,21085,21086,21087,21088,21089,21090,21091,21092,21093,21094,21095,21096,21097,21098,21099,21100,21101,21102,21103,21104,21105,21106,21107,21108,21109,21110,21111,21112,21113,21114,21115,21116,21117,21118,21119,21120,21121,21122,21123,21124,21125,21126,21127,21128,21129,21130″ columns=”6″ style=”2″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][minti_spacer][vc_column_text]

Premiação dos melhores Vídeos da TV CONFIES

Tão esperada pelo público, a seleção final do Primeiro Prêmio TV CONFIES de Vídeo aconteceu na tarde desta sexta-feira, no 1º Congresso Nacional do Confies, realizado na fundação de apoio da UnB – em Brasília.
Ao todo foram inscritos 19 vídeos tratando do tema burocracia na pesquisa. Depois de uma semana de votação online, o vencedor foi o vídeo da FUNPAR, eleito pelo júri popular com 425 likes. A premiação do júri técnico foi feita na tarde desta sexta-feira. No júri estavam membros do Ministério da Educação, da Controladoria Geral da União – a CGU; e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC). Para os primeiros colocados foram entregues troféus de ouro, bronze e prata, além dos prêmios em dinheiro. UNISELVA, Fiotec e FUNPAR foram as fundações vencedoras.

O Prêmio TV CONFIES de Vídeo é uma iniciativa do CONFIES através da Rede TV CONFIES. Uma operadora 100% virtual de canais de TV, uma rede horizontal, inclusiva, de todos para todos.

Confira as fotos da Premiação:[/vc_column_text][minti_gallery ids=”21132,21133,21134,21135,21136,21137,21138,21139″ columns=”6″][/vc_column][/vc_row]

Novos Conselheiros tomam posse na Finatec

A sala de reunião do Conselho Superior estava repleta de professores para a última reunião dos conselheiros que aconteceu no dia 26 de novembro de 2018. Além de ser o último encontro do ano, com deliberações importantes a serem finalizadas, aconteceu também a posse do novo grupo de Conselheiros da Finatec.

Sete novos membros foram empossados e outros oito entregaram seus postos nesse dia. A Finatec agradece o brilhante trabalho desempenhado pelos Conselheiros Professores Doutores Anderson de Jesus Gomes, Paulo Roberto de lira Gondim, Roberto Ventura Santos, Rudi Henri Van Els, Manuel Nascimento Dias Barcelos, e das Professoras Doutoras Lilian Marly de Paula, Fátima de Souza Freire e Sylvia Fischer e saúda os novos docentes que aceitaram a missão de deliberar os caminhos da fundação em 2019.

Os professores Doutores Antonio Cesar Pinho Brasil Junior, Jesualdo Pereira Farias, Luis Afonso Bermudez e as professoras Doutoras Maria Emília Machado Telles Walter e Renata Aquino foram reconduzidos nas posições do Conselho. Os conselheiros empossados e os reconduzidos assumiram o mandato pelo período de 27/11/2018 a 26/11/2020. A eleição do Conselheiro que irá presidir o Conselho Superior é realizada na primeira reunião após a eleição dos novos membros. A escolha se dá nos termos do art. 9º do Estatuto da Fundação.

Conheça os novos Conselheiros empossados:

Professora Doutora Adelane Moreira
Doutora e Mestre em Geologia pela Universidade de Brasília. É Engenheira Geóloga graduada pela Universidade Federal de Ouro Preto. Atualmente é Professora do Instituto de Geociências da Universidade de Brasília.

Professor Doutor Augusto César Mendonça Brasil
Pós Doutor pelo Instituto Superior Técnico na área de Consumo Energético e Emissão de Poluentes de Veículos de Transportes. Doutor em Engenharia Mecânica pelo Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa. Mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal do Espírito Santo. Graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Pará. Atualmente é professor da Universidade de Brasília.

Professor Doutor Emerson Fachin Martins
Doutor e Mestre em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). É Graduado em Fisioterapia pela Universidade Federal de são carlos. (UFSCar). É professor da Faculdade de Ceilândia da Universidade de Brasília.

Professora Doutora Lúcia Helena Cavasin Zabotto Pulino
Pós-doutora na Université Paris 8 e na UERJ/Proped. Doutora em Filosofia e Mestre em Lógica e Filosofia da Ciência pela Universidade Estadual de Campinas. Especialista em Filosofia da Psicologia e da Psicanálise – Unicamp Graduada em Psicologia pela FFCL de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo (USP). Professora do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília.

Professora Doutora Mercedes Maria da Cunha Bustamante
Doutora em Geobotânica pela Universitat Trier. Mestre em Ciências Agrárias pela Universidade Federal de Viçosa. Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Atualmente é professora titular da Universidade de Brasília.

Professor Doutor Renato Alves Borges
Pós-doutor em Engenharia Elétrica e de Computação pela UNICAMP. PhD pela Universidade do Novo México. Doutor e Mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas. Graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Goiás. Atualmente é Professor do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília.

Professora Doutora Vanessa Carvalho de Andrade
Pós-Doutora pelo Observatório de Paris-Meudon, Paris-Fran e Unesp. Doutora e Graduada em Física pela Universidade de São Paulo. Professora do Instituto de Física da Universidade de Brasília, Campus Darcy Ribeiro.

Indicadores Finalísticos para mensurar a atuação das Fundações de Apoio

De acordo com dados do CONFIES – Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica – suas fundações filiadas chegam a movimentar cerca de R$ 5 bilhões ao ano, o que representa 50% a 70% de todos os recursos que as universidades federais recebem durante todo o ano.

Nesse sentido é visível a importância das fundações no contexto do desenvolvimento científico e tecnológico do país. Contudo, os impactos desses investimentos convertidos em avanços e aquisições tecnológicas para as universidades e institutos ainda não estão sendo considerados pelos órgãos de controle e velamento.

De acordo com Fernando Peregrino, Presidente do CONFIES, a avaliação realizada pelo Ministério Público atualmente, acontece sem indicadores definidos e, cada estado da federação tem a sua maneira de avaliar o resultado das fundações de apoio. “A única coisa que eles mensuram e avaliam nas fundações são seus dados contábeis. Isso não revela a nossa missão. É apenas um dado. Contudo, ninguém nunca instituiu indicadores finalísticos para essa avaliação e, nas conversas com o CGU, MEC e MCTI, esse assunto veio à tona com muita força. Eles querem isso. Então não me peçam duas vezes. Vamos avante. Vamos propor para eles.” – revela o presidente das fundações com entusiasmo.

De acordo com o Presidente do CONFIES as proposições de parâmetros respondem a questões simples como: quantos projetos as fundações estão gerenciando? Quantos recursos públicos, privados, nacionais ou estrangeiros a fundação trouxe para sua apoiada? Quantas bolsas através dela foram concedidas? Quantos CLTs ela contratou para auxiliar sua apoiada? “Somos uma força auxiliar então quando medirem a universidade é preciso que levem em conta a parceria das Fundações. Se nós não nos lembrarmos disso, ficaremos à margem. Na maioria dos casos as fundações são lembradas apenas para resolver os problemas de contratação, aquisição de bens ou consultorias, mas fazemos muito mais que essas atividades.” – conclui o Presidente.

Por enquanto, com a finalidade de observar a pertinência dos indicadores propostos pelo CONFIES, as fundações estão sendo convidadas a fazerem um esforço de auto avaliação e, a partir desse movimento, é esperado que os Ministérios Públicos adotem as mesmas premissas como parâmetros avaliativos, superando o foco nos índices contábeis e fiscais. “Podemos fazer uma analogia com o imposto de renda. Você não declara tudo como se fosse a verdade? Então vai ser declarado assim. Quantos projetos, quantas bolsas? E se houver dúvidas, os veladores pedem os esclarecimentos. É preciso ter uma regra de avaliação, isso confere solidez e transparência ao processo” – finaliza Peregrino, Presidente do CONFIES.

Prato Equilibrado no FinaRestaurante

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Com o objetivo de atender bem o seu corpo técnico, a Finatec oferece um espaço diferenciado de refeição aos seus colaboradores. O restaurante é gerido e supervisionado pela Nutricionista Larissa Mazocco que, a partir de 2017, além de atender a comunidade interna também abriu suas portas para receber a comunidade acadêmica da Unb e funcionários de empresas do entorno com uma comida a quilo saborosa e saudável.

Sempre atenta à alimentação que é servida no FinaRestaurante e primando pelas melhores práticas alimentares do público, Larissa Mazocco instituiu, no final de novembro de 2018, o projeto Prato Equilibrado fruto de sua dissertação de Mestrado concluído na Universidade de Brasília, em 2015.

O projeto orienta os clientes a escolherem melhor os alimentos que irão consumir, já que indica, por meio das cores do semáforo, as receitas que são saudáveis e as que devem ser consumidas com moderação, para evitar o aparecimento de doenças crônicas não transmissíveis como obesidade, pressão alta, diabetes, problemas do coração e outras.

As cores verde, amarela e vermelha, levam em consideração a quantidade de gordura e sal/sódio que a receita possui. Um grande banner localizado ao lado do buffet orienta os clientes sobre a ação e placas coloridas sinalizam as comidas dispostas na rampa. Finalmente, ao lado dos pratos, um modelo lúdico ensina a quantidade ideal das porções de cada alimento para uma boa refeição!

Uma ação inteligente e lúdica que melhora a qualidade de vida dos colaboradores da Finatec e ainda incentiva a alimentação saudável da comunidade acadêmica que frequenta o restaurante.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][minti_gallery ids=”20839,20840,20841,20842,20843″ columns=”3″ style=”2″][/vc_column][/vc_row]

Acordo de cooperação internacional com a Safran é assinado na Finatec

[vc_row][vc_column][vc_column_text]O acordo tripartite, firmado entre Finatec, Unb e Safran, no dia 19/11, visa ampliar as possibilidades de parceria internacional, sobretudo na perspectiva da pesquisa e desenvolvimento científicos na área da engenharia. Com expertise no campo de desenvolvimento tecnológico, a Safran possui projetos de monitoramento da eficiência dos materiais, analisando seu comportamento em ambientes adversos, pesquisas sobre combustíveis do futuro, nos aspectos da sustentabilidade e segurança química dos materiais, turbinas entre outras frentes da ciência.

Atenta sempre às melhores práticas do mercado, a Safran acredita no potencial do Brasil e capacita seus funcionários em centros de treinamento do próprio Brasil. É por isso que está em constante negociação com as universidades brasileiras para o desenvolvimento de pesquisas com estudantes e professores engenheiros em seus projetos.

De acordo com o CEO da Safran no Brasil, François Hass, a parceria com as universidades e o apoio da Finatec são fundamentais para estreitar o relacionamento com os pesquisadores do país. “Estou convencido que a indústria brasileira é uma das melhores em tecnologia embarcada e precisamos de vocês para as pesquisas e captação recursos. É uma cooperação muito estratégica para a indústria brasileira.” – conclui.

Com mais de 40 anos no Brasil, a Safran é uma empresa francesa que possui quatro grandes companhias no país. A Turbomeca no estado do Rio de Janeiro que cuida da manutenção de turbinas de helicópteros, a Morpho Cards, localizada em São Paulo, que produz cartões telefônicos e bancários inteligentes., a Safran Engineering and Aeronautica, em São José, que oferece apoio de engenharia para a Embraer e, finalmente, a Sagem Optovac, em São José dos Campos, que trabalha no campo dos optronics e pilotos automáticos.

Para a assinatura do acordo de cooperação estiveram presentes na sede da Finatec os representantes da Fundação, o professor Edson Paulo da Silva, Diretor Presidente e a professora Andrea Santos, Diretora Secretária. Da comitiva Francesa, um representante da Embaixada, o CEO da Turbomeca Brazil Safan, François Hass, e outros seis engenheiros para uma apresentação dos projetos em desenvolvimento. Da Universidade de Brasília, o Diretor da Faculdade de Tecnologia, prof. Márcio Muniz, o Chefe de Departamento da ENE-UnB, Prof. Daniel Rosa, os professores José Alexander Araújo e Antônio Brasil, e representantes da Agência Espacial Brasileira e Confederação Nacional da Indústria.

A partir do acordo, a Finatec amplia as possibilidades de internacionalização de seus pesquisadores; oportunidade que só uma Multinacional com a expertise da Safran pode oferecer, quando o contexto é tecnologia de ponta.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][minti_gallery ids=”20749,20751,20752,20753,20754,20755,20756,20757,20758,20759,20760″ columns=”4″ style=”2″][/vc_column][/vc_row]

Diretor Presidente da Finatec participa de ciclo de encontros da Promotoria de Fundações e Entidades de Interesse Social

Motivados pela reflexão a respeito da atual crise brasileira e suas consequências para o setor fundacional, a Promotoria de Fundações e Entidades de Interesse Social, juntamente com o Observatório do Terceiro Setor e a parceria do Procurador de Justiça Eduardo Sabo, propôs o 1º Ciclo de Encontros para debates de assuntos de interesse comum da PJFEIS, dos Conselheiros e Diretores das Fundações.

Ao todo três encontros estão sendo realizados nas dependências da Fundação Paiva Netto, no período de 02/10 a 30/11, em Brasília. Os ciclos sobre noções gerais do Terceiro Setor relacionadas ao processo de governança e, ao exercício da atividade econômica e social das fundações de apoio já foram concluídos. O último ciclo, que discutirá sobre a remuneração dos diretores das fundações bem como suas responsabilidades civil, criminal, administrativas e trabalhistas, no âmbito das fundações, está previsto para o dia 30 de novembro.

A dinâmica acontece em formato de reunião para permitir a apresentação e exposição do tema e, na sequência, é realizado um amplo debate. De acordo com a Promotoria, é também meta dos encontros, permitir uma maior aproximação dos Conselheiros e Diretores das Fundações com o Ministério Público, no intuito de criar campo fértil para discussões, sugestões e troca experiências.

Convidada a participar desse momento, a Finatec, na figura de seu Diretor Presidente, está marcando presença em todas as reuniões agendadas. De acordo com o professor Edson Paulo da Silva, a oportunidade é unica. “A proposta dos ciclos de encontro é inovadora. Mostra a preocupação da Promotoria em estar próxima às Fundações de Apoio, abrindo espaço para a exposição de dúvidas das instituições e favorecendo a troca de experiências para que possamos aprimorar cada vez mais nossa forma de conduzir os processos de gestão .” – afirma o Diretor da Finatec.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out LoudPress Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out LoudPress Enter to Stop Reading Page Content Out LoudScreen Reader Support