Solenidade de comemoração dos 25 anos da Finatec é marcada pela nostalgia

Um dos fundadores, professor Antônio Manoel, falou sobre como a trajetória da instituição foi dura e ressaltou os sucessos alcançados

Em comemoração aos 25 anos da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), foi realizado na noite de ontem, na Sede da instituição, um encontro entre funcionários, diretoria, pesquisadores, alunos e professores da Universidade de Brasília (UnB) para relembrar a trajetória da Fundação que, em sua história, apoiou o desenvolvimento de mais de 3 mil projetos.

O diretor executivo da Finatec, Edson Paulo da Silva, ressaltou o momento profícuo da instituição, principalmente no que se refere ao relacionamento com a Universidade. “É um prazer estar presidente, principalmente por ser um momento de transição para a Finatec. Trabalhamos para levar a Fundação para o lugar que nunca deveria ter saído, umas das melhores fundações de apoio do Brasil e uma referência na gestão de projetos”, destacou. Complementando, a presidente do Conselho Superior da Finatec, Lilian Marly de Paula, afirmou que o principal triunfo da Fundação é oferecer tranquilidade aos professores.

A reitora da UnB, professora doutora Márcia Abrãao, celebrou a quantidade de projetos da Fundação com a Universidade. “Em seu início a Finatec era muito focada nas engenharias e hoje ela se abre para toda a Universidade, uma parceria fundamental para ambas as instituições. Uma Universidade que está entre as cinco melhores do País precisa ter uma área de inovação e gestão de pesquisa de ponta”, enfatizou.

O ponto alto do evento ocorreu durante a fala de um dos fundadores da instituição, o professor Antônio Manoel. Emocionando os presentes, ele relembrou as dificuldades do início e comemorou a importância da Finatec para a UnB. Antônio contou que, durante uma visita à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), ele conheceu a Fundação de apoio àquela Universidade, que havia sido criada em 1974. Imediatamente colocou em ação o plano de abrir uma instituição semelhante na UnB. “O recurso dos projetos entravam no caixa único da Universidade e o momento político do país, durante a redemocratização, nos obrigava a conviver com uma inflação de mais de 20%. Era uma dificuldade enorme captar recursos e, quando finalmente conseguíamos, na hora de comprar equipamentos o dinheiro já não valia quase nada”, lembrou.

Para instituir a Finatec, os 12 fundadores foram até o Ministério Público em busca de informações. Os primeiros recursos, necessários para a criação, foram doados do bolso dos próprios professores; ao contrário das Fundações de apoio mais antigas do País, quando era legal receber recursos das Universidades públicas. O professor Antônio Manoel explicou ainda que a Finatec nasceu em um ambiente de divergência, sem apoio do reitor e de boa parte dos professores. “Como qualquer entidade que nasce sem recursos, quem desenvolvia todo o trabalho eram os diretores. Esse é um diferencial. A Finatec veio para trabalhar pelo coletivo e este foi o grande mote que colocou a Fundação em movimento durante todos esses anos”, recordou.

O evento foi marcado ainda por um buffet especial utilizando ingredientes do cerrado, como pequi, buriti, castanha de baru e jatobá. Todo o cardápio foi desenvolvido no próprio restaurante da Fundação, sob a coordenação da mestra em Nutrição, Larissa Mazzoco. A Finatec também presenteou aos convidados com uma agenda comemorativa dos 25 anos da instituição.

Um pouco de história

Fundada no dia 13 de março de 1992, a Finatec nasceu do sonho de 12 professores da UnB, 10 deles do curso de Engenharia Mecânica, 1 do curso de Engenharia Elétrica e 1 da Física. Hoje, o trabalho é desenvolvido por uma equipe de mais de 70 pessoas.

Pioneira no lançamento de editais de fomento à pesquisa, a Finatec criou o primeiro Programa de Fomento do País, no âmbito das fundações de apoio à universidade, no ano de 2000, passando a auxiliar os pesquisadores na publicação, na participação em eventos científicos internacionais e também na realização de projetos finais e de pesquisa. Os editais de Fomento são custeados pela própria Finatec, que garante mais uma forma de auxiliar a UnB na produção científica, atendendo dessa forma os objetivos para os quais foi criada.

Desde 2015, após importante processo de reestruturação e com o desafio de promover o reequilíbrio financeiro, um Plano de Trabalho Estratégico vem conduzindo as atividades da Finatec de forma transparente e com foco na qualidade. Neste documento, cinco objetivos principais foram apontados: capacitar e fortalecer a Finatec para prospectar novos projetos; fortalecer a imagem da entidade; revisar o escopo das atividades; consolidar e ampliar os resultados de tecnologia em processos e, por fim, fortalecer o relacionamento em rede.

Muito mudou dentro da Fundação e não demorou para que os resultados positivos acompanhassem a mudança. Só em 2016, a Finatec apoiou a execução de 127 projetos de pesquisa, ensino, extensão, desenvolvimento institucional, científico e tecnológico, apresentando um crescimento de 89% em relação ao ano anterior. Mas, além disso, a Fundação também realizou a gestão administrativa e financeira de 111 eventos científicos, o que resultou em um montante de mais de R$ 1,5 milhão, um acréscimo de 80% em relação ao ano anterior.

Para os próximos 25 anos, com foco no futuro, a Fundação tem o objetivo de ampliar ainda mais o seu prestígio e protagonismo na área de gestão de pesquisa científica no Distrito Federal e no Brasil, aperfeiçoando os Programas de Apoio e alcançando a todos os professores, coordenadores e alunos de mestrado e doutorado que necessitam de suporte e auxílio.

 

Coquetel 25 Anos FINATEC

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out LoudPress Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out LoudPress Enter to Stop Reading Page Content Out LoudScreen Reader Support