Casos de sucesso

Validação de métodos para diagnóstico e estimativas de prevalência pela infecção por SARS-CoV-2 em três populações no Distrito Federal

Duas pesquisas em uma: esta é a proposta do projeto “Validação de métodos para diagnóstico e estimativas de prevalência pela infecção por SARS-CoV-2 em três populações no Distrito Federal”, comandado pelo professor Wildo Araújo, do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ceilândia, da UnB.

“Toda vez que surge uma nova doença infecciosa, precisamos entender, como política pública, quantos já adoeceram. Isso serve para entender o perfil de quem fica doente, quais testes funcionam e quantas vacinas devemos comprar”, explica o docente. A pesquisa tem dois interesses: o primeiro é verificar o chamado grau de acurácia dos testes sorológicos da Covid-19. Depois, descobrir quantas pessoas de fato se infectaram com o Sars-CoV-2 no Distrito Federal. 

A ideia do professor é visitar pelo menos 6.800 domicílios no Distrito Federal e fazer um verdadeiro raio-X da infecção do novo coronavírus em regiões administrativas como Taguatinga, Ceilândia, Setor Sol Nascente e no Plano Piloto, por exemplo. Além disso, equipes de entrevistadores ainda vão coletar dados como a circulação de cada indivíduo pelo DF, uso de máscaras e como cada um se informa sobre o vírus. As entrevistas devem ser repetidas três vezes, com o intuito de compreender como está a curva de infecção nas RA’s.

“Isso serve para direcionarmos orientações educacionais, e para estimarmos quantas pessoas ainda podem se infectar. Eu posso comparar, inclusive, estruturas sociais, ver se um perfil populacional se infecta mais que outro. São dados úteis aos gestores públicos de saúde e de educação do DF”, argumenta o pesquisador. 

Segundo o professor Wildo, a pesquisa terá múltiplos impactos positivos: o primeiro será quanto à avaliação da efetividade dos testes sorológicos. “Vamos promover, não só para o DF, um resultado que demonstra quais exames são viáveis. Isso ajuda a definir quais os melhores a serem adquiridos pela rede privada e, principalmente, pela pública”, afirma.

O estudo ainda terá um impacto a longo prazo: toda a equipe de pesquisadores será capacitada para fazer estudos de validação de testes sorológicos para qualquer doença – uma oportunidade de ouro para estudantes que se envolverem no projeto. 

O projeto vai contar com o recurso de R$ 6,5 milhões e tem o apoio da Finatec. No momento, a equipe está em fase de seleção, ao passo que a pesquisa sobre a acurácia dos testes já está em andamento. A previsão é que o estudo seja concluído ainda no primeiro semestre de 2021. “A Finatec tem o importante papel de gerenciar e fazer todo o processo licitatório de contratação, compra de produtos, insumos e equipamentos. O desafio atual é que o tempo em que a pesquisa precisa ser feita é rápido, e essa pandemia traz novidades a cada dia”, afirma o professor.

Coordenador: Prof. Wildo Araújo

Recurso: R$6.588.534,00

Envolvidos: FAPDF, Finatec, UnB

Assinatura: 14/05/2020

Data fim (previsão): 14/05/2022

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support