O site estará indisponível no dia 18.09, sábado, das 8h às 15h. Agradecemos a compreensão.

Casos de sucesso

Projeto Poti

ENTENDA O PROJETO

Projetos acadêmicos, que têm por finalidade observar a utilização e recomposição dos recursos naturais, são de grande relevância para os campos científico e tecnológico. Além de resultarem em benefícios sociais e econômicos, as pesquisas permitem a realização de experiências de campo imprescindíveis para o desenvolvimento sustentável e ambiental do país.

A indústria de petróleo e gás natural, por exemplo, composta por recursos minerais classificados como não renováveis, responde por uma parcela muito importante da economia brasileira. De acordo com a Petrobras, em 2018, a produção total de petróleo e gás, incluindo gás natural (LGN), foi de 2,63 milhões de barris de óleo por dia (boed). Para acompanhar o desenvolvimento econômico e social do país em relação aos recursos naturais exploráveis, surgem os projetos de pesquisa, um exemplo notável é o “Projeto Poti”.

Projeto Poti é um projeto acadêmico de pesquisa e desenvolvimento (P&D), coordenado pelos professores pesquisadores Carlos Emanoel de Souza Cruz e Carlos Jorge de Abreu, do Instituto de Geociências da Universidade de Brasília (UnB), com a participação de mais três professores vinculados e um pesquisador não vinculado, quatro alunos de mestrado e quatro estagiários de graduação e um geólogo contratado celetista. O Projeto é patrocinado pela empresa petrolífera Eneva/Parnaíba Gás Natural com o apoio da Finatec – Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos – da UnB.

Este projeto consiste em caracterizar a qualidade e a arquitetura deposicional dos reservatórios de gás das formações Poti, Longá e Cabeças, da bacia sedimentar do Parnaíba, estados do Piauí e Maranhão. A pesquisa incentiva ainda o treinamento de jovens profissionais e estudantes de geologia em técnicas não adquiridas em um ambiente acadêmico, bem como, a modernização das capacidades laboratoriais da UnB a com a aquisição de equipamentos de última geração utilizados pelas mais importantes companhias e centros de pesquisa atuantes nas áreas de Petróleo e Gás.

Pesquisa na prática

A pesquisa é desenvolvida em ambiente acadêmico (UnB) com grande atuação prática de campo, na área da bacia sedimentar do Parnaíba na região dos estados do Piauí e Maranhão, próximo às cidades de Floriano, Picos, Teresina e Campo Maior no estado do Piauí e Barão do Grajaú no Maranhão. Nesta área foram realizadas as perfurações de seis poços rasos (500m de profundidade) para a retirada de rochas denominadas de testemunhos para estudos. Estes mesmos poços são usados pela população local como fornecedores de água potável.

Em seu percurso, o Projeto Poti contribuiu para a conclusão de três dissertações de mestrado e uma em fase de finalização, utilizando-se os dados levantados no campo naquela região. Outro resultado positivo foi a elaboração de um roteiro geológico de campo utilizado para o treinamento de pessoal do ramo. Entretanto, o principal resultado científico-tecnológico consistiu no maior conhecimento dos reservatórios de gás o que contribuirá para um incremento da produção deste bem na Bacia do Parnaíba.

De acordo com o Professor Souza Cruz, a pesquisa inclui também uma “experiência em que jovens estudantes-pesquisadores absorvem o conhecimento voltado para as técnicas de exploração de hidrocarbonetos, como treinamento e preparação destes futuros profissionais”, ressalta o pesquisador.

Importância social e econômica

“O projeto permitiu a aquisição de equipamentos permanentes e manutenção dos laboratórios, assim como adquirir um grande volume de rochas enriquecendo o acervo do Instituto de Geociências da UnB, podendo ser utilizado em outros futuros projetos”, afirmam os participantes. Também, parte dos recursos foi usada para manutenção de quatro bolsas de mestrado, trabalhos de pesquisa de professores pesquisadores e de bolsistas de graduação. Além de investir nas regiões da pesquisa por meio de contratação de microempresas e trabalhadores locais.

“Certamente, o Projeto Poti contribui para a efetividade do Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento, pois além de ter preparado geólogos especializados na exploração de hidrocarbonetos, adquiriu equipamentos de tecnologia de ponta para o Instituto de Geociências da Universidade de Brasília, o que, sem dúvidas, é bastante promissor para o avanço científico, social e econômico do nosso país”, avalia Valessa Araújo, mestre em Geologia pela UnB e uma das pesquisadoras bolsistas do Projeto Poti.

A especialista ressalta ainda os benefícios gerados para a instituição e destaca que a pesquisa tem grande importância para o setor petroleiro, área relevante para a economia do país. “Em um momento de escassez de empregos, tivemos a oportunidade de qualificar a nossa mão-de-obra, com experiências teóricas e de prática profissional na bacia do Parnaíba, onde, atualmente, há produção de gás natural”, completa.

Coordenadores: Carlos Emanoel de Souza Cruz e Carlos Jorge de Abreu

Recurso: R$ 8.014.389,60

Envolvidos: Eneva/Parnaíba Gás Natural S.A., Finatec e UnB

Vigência: 2015 a 2020

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out LoudPress Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out LoudPress Enter to Stop Reading Page Content Out LoudScreen Reader Support